Duelo de nomes
- Nuno vs Rui -

16.6.17


Nuno e Rui estão longe do número de registos das décadas de 70 e 80 mas, ainda assim, continuam a integrar o conjunto de nomes masculinos mais usados, ano após ano, em Portugal. Aliás, em 2000, ainda rondavam o top 20, por isso custa-me um pouco quando os rotulam de demodé. Para mim, são clássicos contemporâneos, que apenas ganham com a perda de popularidade! São dos nomes mais "portugueses" que ainda estão em uso entre nós. Encontro referências aos dois nos livros de baptismo mais antigos que possuo e, mesmo assim, continuo a vê-los como nomes joviais [possivelmente porque são curtos], que poderiam fazer pares perfeitos com muitos dos nome mais apelativos do momento, nomeadamente Duarte & Clara. 
E vocês,  o que acham de Nuno & Rui? Entre os dois, qual vos parece mais interessante? Não deixem de votar! 

Atualização - resultado da sondagem:



A ordem dos apelidos

13.6.17


Nunca é demais relembrar: em Portugal, ao registar um recém-nascido, a lei permite que os pais escolham a ordem dos apelidos que lhes parecer mais conveniente. Nem sempre foi assim e, durante muitos e muitos anos, o último apelido era obrigatoriamente o paterno. Hoje, ainda há muita gente que desconhece este pormenor, mas também já há casais a optarem por uma ordem menos tradicional [em 2010, apenas 3% dos bebés registados tinham como último apelido o materno]. 

Em Espanha, a lei também está prestes a mudar. a partir de 30 de Junho, o apelido do pai deixa de ser, por defeito, o primeiro a ser registado. Na notícia, fala-se em "perda de preferência", numa tentativa de promover a "igualdade". Há uns anos, quando se começou a falar nesta hipótese, houve quem considerasse que era um "ataque frontal do Governo à família".  Até me arrepio ao ler estas coisas! 

Para os interessados, isto é o que diz a lei portuguesa atual a propósito dos Apelidos:

Vamos ajudar a nomear?

12.6.17


A Helena é mãe de uma menina chamada Clarisse e deixou-nos este pedido de ajuda:

"Estamos com alguma dificuldade em escolher o nome do nosso segundo filho. Já temos uma Clarisse e agora vem aí um menino e não encontramos um nome de que ambos [pai e mãe] gostamos e que seja relativamente incomum. Apesar de gostarmos muito dos nomes da moda, queríamos algo um pouco diferente, mais único [tal como Clarisse]. Por exemplo, eu gosto de Heitor e Josué, mas o pai não gosta nada". 

Que nomes masculinos sugerem à Helena? E aproveitando o momento, que nomes femininos seriam um Par Perfeito para Clarisse?

Aqui ficam as minhas sugestões:

Duelo de nomes
- Helena vs Valentina -

9.6.17


Em 2016, Helena e Valentina foram escolhidos para o mesmo número de meninas portuguesas e, por isso, ambos ocupam a 50.ª posição do ranking. Apesar da igualdade de registos, são nomes com um estatuto diferente entre nós: Helena é um clássico, que teve um período áureo nas décadas de 60 e 70 e que está em processo de desgaste. Valentina, por outro lado, pouco se usou ao longo do século XX, remetendo-nos mais para os séculos XVIII e XIX. Contudo, nos últimos cinco anos, teve uma subida impressionante no ranking, passando de uns meros 12 registos em 2011, para 163 em 2016 - o que poderá ter influência dos nossos amigo brasileiros - já que é um dos nomes da moda por lá - ou dos vizinhos espanhóis, que também o estão a usar muito! 

E vocês, o que acham destes nomes? Preferem o estilo terno e intemporal de Helena ou o a cadência e a intensidade de Valentina? Não deixem de votar! 

Atualização - resultado da sondagem: 




Filhos dos famosos 2017 - Alice & Benjamim

7.6.17



  • Alice, filha de Dália Madruga, que já era mãe de Clara e João
  • Benjamim, filho de Carolina Deslandes, que já era mãe de Santiago
  • Ella & Alexander, filhos de George Clooney e Amal Junia Alamuddin {na foto}


Rosarinho & Gracinha

6.6.17


Em 2012, à custas do mediatismo alcançado pela fadista Carminho, dava aqui conta da possibilidade de este se tornar num dos nomes da moda em Portugal. Na altura, Carminho tinha sido opção para doze meninas, o que até já era uma grande diferença para 2009, ano em que apenas foi registada uma menina com este nome. Passados quatro anos, Carminho surge no top 50 da lista de 2016, estando quase na marca dos duzentos registos anuais e, pelo que me tem parecido, a tendência é para subir ainda mais no nosso ranking. 
Este desempenho de Carminho revela que há abertura para o uso de diminutivos na condição de nome próprio, sobretudo se o nome em questão se apresentar com alguma substância. Desta forma, dentro dos nomes mais comuns retirados da lista de epítetos de Nossa Senhora, há dois diminutivos que podem e devem ser olhados com interesse e falo de Rosarinho & Gracinha
Rosarinho, tal como Carminho, revitaliza um nome que, de outra forma, me parece menos apelativo. Rosário, por via de Maria do Rosário, é um nome marcadamente religioso mas que, na forma do diminutivo, se torna mais terno, mais delicado e mais contemporâneo. Na vizinha Espanha, passou-se o mesmo com Candelária, que caiu em desuso, dando agora lugar ao popular Candela. O mesmo se aplica a Gracinha, com a vantagem de que o diminutivo também se consegue afastar um pouco do substantivo o que, para muitos, poderá parecer bastante benéfico.

Na minha opinião, Gracinha & Rosarinho são alternativas muito válidas a Carminho, podendo apelar a quem gosta de nomes como fortes, como Carlota ou Pureza, ou a quem gosta de nomes mais suaves e delicados, como Madalena ou Amélia.

Duelo de nomes
- Bárbara vs Mafalda -

2.6.17


Os meus nomes preferidos são quase todos longos, fortes e intensos e acho que Bárbara e Mafalda são bons exemplos de nomes que reúnem estas características. Mafalda é um dos meus nomes preferidos de sempre e adorei quando uma das minhas melhores amigas o escolheu para a primeira menina que nasceu no nosso grupinho! Bárbara, por outro lado, passou-me ao lado durante muito tempo, mas agora tem vindo a agradar-me mais. Podemos encontrar qualquer um dos dois nos livros antigos de baptismo, estão os dois na lista de Infantas de Portugal, e a popularidade de Bárbara e Mafalda foi muito semelhante em 2004, quando ocupavam, respectivamente, a 27.ª e 28.ª posição do ranking de nomes femininos mais usados em Portugal. Nessa altura, Bárbara já estava a começar o percurso descendente, depois de ter chegado à 17.ª posição, em 1998, talvez por causa do sucesso de Bárbara Guimarães, que entretanto começara a apresentar o Chuva de Estrelas. Hoje, Bárbara ocupa a 53.ª posição do ranking, enquanto que Mafalda está na 22.ª posição.  
Sei que Mafalda é um nome que causa alguma estranheza aos leitores do Brasil, enquanto que Bárbara é relativamente comum, e isso poderá afectar um pouco o resultado da sondagem, mas acho que não é motivo para não fazer este duelo que, aos portugueses, fará mais sentido! 
Para o fim, deixei uma curiosidade: apesar de haver no nosso top 100 mais nomes que apenas têm uma vogal [Ana, Clara, Lara, Mara, Sara, Marta], Bárbara e Mafalda são os únicos trissílabos nesta situação e já sabem que eu acho piada a estas coisas. 😇

O que acham destes dois nomes? Qual é o vosso preferido? Não se esqueçam de votar! 

Atualização - resultado da sondagem


Judite
- Lado Maternal -

1.6.17


Ao longo dos anos, tenho-me cruzado com algumas mulheres chamadas Judite. A mãe de uma amiga de infância. Uma vizinha de muita idade a quem todos chamavam Dona Dite e que só no velório descobri que era Judite e não Edite. Outra vizinha, esta bem mais nova, que era tratada por Jú. A fotógrafa do meu casamento, que era Judith. Isto faz-me pensar que, não sendo o mais comum dos nomes usados em Portugal, ainda deverá ser o nome de muitas mães portuguesas! 
Na minha opinião, Judite até poderia ser uma par perfeito para Débora - nome bíblico que está na lista de cem nomes femininos mais registados em Portugal entre 1990 e 2016, e que já foi registado em mais de 5 mil meninas neste período. O problema será mesmo esse: enquanto Débora tem vindo a ser uma escolha constante, o melhor  resultado de Judite, nos últimos cinco anos, ocorreu em 2014, quando foi usado em três meninas. 
Compreendo que hoje até pode nem ser um nome muito apelativo, mas vendo que Salomé, Rebeca, Simone e Ester estão às portas do top 100, isso faz-me acreditar que, dentro de alguns anos, Judite poderá ouvir-se novamente. 
Judite é um nome bíblico, de origem hebraica, cujo significado tanto remete para "judia", como para "Ele será louvado". O original Iehudith também originou Judita, variante, ainda assim, muito mais rara. Do universo anglo-saxónico, chega-nos o diminutivo Judy, que hoje provavelmente até associamos a senhoras de meia idade, já que este foi um nome muito popular nos EUA, nas décadas de 40 e 50. 

Filhos dos famosos 2017 - Siena & Federico

31.5.17



  • Pedro Afonso, filho de Ana Brito e Cunha
  • Siena, filha do futebolista espanhol Andrés Iniesta, que já era pai de Valéria e Paolo Andreas
  • Federico, filho dos tenistas italianos Flavia Pennetta e Fabio Fognini [na foto]



Pares Perfeitos para Pilar

30.5.17


Nos últimos cinco anos, Pilar tem estado na lista de cem nomes mais escolhidos para as meninas portuguesas. Inicialmente, era usado no composto Maria do Pilar, numa invocação à Nossa Senhora do Pilar. Segundo reza a história, a Virgem apareceu ao apóstolo Tiago, em Saragoça, iniciando-se assim o culto à Virgen del Pilar. Na minha opinião, Pilar, que agora se usa sozinho, é um nome difícil de dissociar do universo hispânico e como tal, foi essa a maior fonte de inspiração para as sugestões que se seguem: 

Filhos dos famosos - versão latina

29.5.17



As escolhas dos famosos suscitam sempre curiosidade e, em alguns casos, são até responsáveis pelo sucesso repentino de um ou outro nome. Depois das listas dos filhos dos famosos portugueses, brasileiros e da lista de filhos dos famosos internacionais, chega a vez de publicar uma lista com o nome dos filhos de algumas celebridades de Espanha e dos países da América do Sul. 

  • Alejandro González Iñárritu - Maria Eladia, Eliseo
  • Alejandro Sanz - Dylan, Manuela, Alexander, Alma
  • Álex Corretja - Aroa, Carla, Érika
  • Alfonso Cuarón - Joná, Tess Bu, Olmo Teodoro
  • Ana Obregón - Alejandro
  • Ana Ortiz - Paloma Louise, Rafael
  • Andrea Navedo - Ava, Nico
  • Andrés Iniesta - Valeria, Paolo Andreas e Siena
  • Andy Garcia - Dominik, Daniella, Alessandra, Andres
  • Angel Di María - Mia
  • Antonio Banderas - Stella del Carmen
  • Arancha de Benito - Zaíra, Aitor José
  • Arantxa Sanchez Vicario - Leo, Arantxa

Duelos improváveis
- Alex vs Leo -

26.5.17


Tenho alguma dificuldade em quantificar o uso de diminutivos e hipocorísticos em Portugal, mas tenho a sensação de que é uma prática muito enraizada e que não se esgota no universo infantil, ainda que, grande parte deles, tenha origem nessa fase da vida. No livro Antroponimia Portuguesa, de 1928, escreve J. Leite de Vasconcellos: "Na linguagem infantil e na das pessoas que lidam com crianças ouvem-se muitas vezes nomes como Quim, Lulú, que da parte d'estas representam insuficiência de pronúncia, e d'aquelas representam afecto. Os alemães chamam a tais nomes: Koseformen, Kosewörter, Kosenamen, isto é, formas, palavras, nomes de carinho". Mais à frente, afirma que o "uso actual de hipocorísticos em pessoas adultas é todavia mais frequente em mulheres do que em homens, porque o mimo que na primeira infância era comum aos dois sexos [...] desapareceu essencialmente no homem, depois que este se tornou adulto; só a mulher permanece terna e ameninada!". 
Da obra acima referida, retirei os seguintes nomes e respectivos hipocorísticos que, na altura, foram recolhidos em diferentes partes do país: 

Geração de 80 em polvorosa

24.5.17


Ontem, a Ana Garcia Martins, autora do blog A Pipoca mais doce, resolveu divulgar ao mundo que o seu segundo nome é Margarida, num post que deu origem a comentários deliciosos sobre os nomes da geração nascida nos anos 80. 
À distância, temos de admitir que a grande maioria dos nomes não soa lá muito bem mas acho que somos demasiado duros nas críticas, porque, se reflectirmos sobre o assunto, concluímos que é um fenómeno perfeitamente natural. Os nomes giros são os de "agora". Os nomes lindos são os que se usam neste momento. Mas, exceptuando os nomes intemporais, a passagem dos anos acaba sempre por afectar o mais in dos nomes, sobretudo quando falamos dos nomes femininos, que se têm mostrado muito mais propícios ao desuso.
Os pais dessa geração de 80 estavam tão horrorizados quanto nós com a possibilidade de atribuir às suas meninas um nome mau. Não queriam nomes que lembrassem os tempos "da outra senhora", não queriam os nomes que lhes calharam por via do apadrinhamento, não queriam os nomes da geração das suas tias, queriam livrar-se dos nomes de inspiração religiosa das avós e, portanto, aproveitaram o frenesim cultural da época para escolher um nome mais moderno. Hoje, Vanessa pode não parecer a escolha mais elegante, mas pensemos que, naquela altura, a alternativa podia muito bem ser Deolinda.
No que respeita aos compostos, é indesmentível que Cátia Vanessa combina dois nomes fortes, que não têm nada a ver um com o outro. Mas, novamente, acho que há queixas demasiado injustas a respeito de combinações terminadas em Alexandra, Sofia ou Cristina.
A meu ver, alguns dos nomes da geração de 80 são maus nomes para as crianças nascidas em 2017. Mas não fazem má figura numa mulher de 30 anos, porque estão muito enquadrados na sua geração. E, sobretudo, esqueçam a ideia de que os nomes aristocráticos de agora é que teria sido ideia de génio, porque numa sociedade recém-saída de uma ditadura, esses nomes não eram a primeira, nem a segunda, nem a terceira opção!
Assim, caras colegas da geração de 80, não tenham vergonha do vosso nome, porque são poucas as mulheres à vossa volta que têm legitimidade onomástica para se acharem com um nome melhor. E mais: as gerações anteriores e a seguinte [ai a seguinte!!!] têm tanta razão de queixa quanto vocês! 😜

Felícia & Elsa

18.5.17


Há uns dias, falávamos dos nomes que nos fascinavam quando éramos crianças e de como alguns deles se mantêm na nossa lista de favoritos até hoje... Pensando no filme de animação Bailarina, o que acham da ideia de vir a ter uma netinha chamada Felícia? 😋
E num confronto com Elsa, qual dois dois vos agrada mais? 

Duelo de nomes
- Eduarda vs Eduardo -

17.5.17


Este deve ser o 826.º post em que escrevo que adoro o meu nome. Adoro! E, talvez por isso, tenho uma grande inclinação para nomes femininos que têm variante masculina, mas nem sempre tenho facilidade em eleger o meu preferido! Quando estava a escolher o nome da minha pequerrucha, hesitei em usar Frederica porque, caso um dia viesse a ser mãe de um menino,  gostava de ter Frederico no topo da minha lista, já que nenhum outro nome masculino me diz tanto quanto este!  
Outro nome que me agrada muito é Eduarda, um nome comum em Portugal, mas que não é comparável, em termos de popularidade, a Eduardo. Entre 1990 e 2016, foram registadas cerca de 2500 meninas e mais de 11 mil meninos! O próprio ranking do ano passado confirma isso mesmo, já que Eduardo ocupa a 38.ª posição, enquanto que Eduarda se fica pela 82.ª. 

Qual é a vossa opinião a respeito de variantes que se usam nos dois géneros? E o que acham de Eduardo e Eduarda? Qual dos dois vos agrada mais? Não se esqueçam de votar! 

Atualização - resultado da sondagem:



Nomes femininos com um século

16.5.17



Dando continuidade ao post anterior, hoje olhamos para um conjunto de nomes femininos retirados de uma lista de baptismos que ocorreram há cerca de um século. Uma vez mais, é possível encontrar uma série de nomes que estão presentes no top 100 de 2016, a saber: 

Adriana, Alexandra, Alice, Amélia, Ana, Áurea, Aurora, Beatriz, Camila, Carlota, Carolina, Catarina, Clara, Constança, Eduarda, Ema, Emília, Eva, Francisca, Frederica, Gabriela, Helena, Inês, Isabel, Joana, Júlia, Juliana, Julieta, Laura, Leonor, Luísa, Madalena, Margarida, Maria, Mariana, Marta, Matilde, Olívia, Raquel, Rita, Sara, Sofia, Teresa, Valentina, Vera, Victória, Vitória


Conhecendo as listas de popularidade mais recentes em Portugal, percebe-se que já fomos ao passado resgatar Alice, Amélia, Aurora, Emília, Julieta e Olívia mas, para além destes, a lista secular incluía os seguintes nomes: 

Nomes masculinos com um século

15.5.17


Há umas semanas, li um texto muito interessante no blog Nancy's Baby Names a propósito da Regra dos Cem anos ou, como a Nancy prefere, Regra dos Bisavós. Já falamos disso aqui algumas vezes mas, muito rapidamente, trata-se de uma teoria que diz que os nomes demoram mais ou menos cem anos a reciclar-se e a parecerem novamente usáveis. Partindo desta ideia, queria mostrar-vos uma lista de nomes que recolhi de meninos baptizadas há mais ou menos um século. De facto, nesta lista, há vários nomes que estão hoje no nosso top 100. Estão aqui os clássicos, estão os clássicos contemporâneos e estão os nomes da moda: 

Afonso, Alexandre, André, Ângelo, António, Artur, Benjamim, Carlos, Cristiano, Daniel, David, Diogo, Eduardo, Elias, Emanuel, Eric, Fernando, Filipe, Francisco, Frederico, Gabriel, Gaspar, Gonçalo, Guilherme, Henrique, Hugo, Isaac, Ivo, Jaime, João, Joaquim, Jorge, José, Leandro, Leonardo, Lourenço, Luís, Manuel, Marcelo, Mário, Mateus, Miguel, Nuno, Paulo, Pedro, Rafael, Raúl, Renato,  Ricardo, Rui, Salvador, Samuel, Sebastião, Sérgio, Tiago, Tomás, Tomé, Vasco & Vicente 


Agora, apresento-vos o resto da lista, que inclui muitos nomes que possivelmente nunca mais se voltarão a usar em Portugal e outros que talvez ainda precisem de mais uns séculos de descanso. 
Mas o que queria saber é se encontram aqui nomes que já podiam perfeitamente fazer um bom par com os nomes acima mencionados: 

Nomes mais populares nos EUA em 2016
- Noah & Emma -

12.5.17


Já são conhecidos os nomes mais populares nos EUA, em 2016, e à semelhança do que aconteceu em 2014 e 2015, os líderes do ranking são Noah, para meninos, e Emma, para meninas. Aqui fica o top 50: 

Fátima


Amanhã assinala-se o centésimo aniversário da aparição de Nossa Senhora aos primos Lúcia, Jacinta e Francisco, na Cova da Iria, numa pequena aldeia do concelho de Ourém. A aldeia chamava-se Fátima e, depois deste "milagre do Sol", o topónimo passou a ser sinónimo de identidade portuguesa, não obstante de estarmos na presença de um nome de origem árabe que significa a que desmama crianças. Segundo explica José Pedro Machado, no seu Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa, Fátima "era um nome usual em mouras, incluindo as que habitaram terras portuguesas" mas não há dúvidas de que "a sua vulgarização é posterior a 1917". A devoção a Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi crescendo e Maria de Fátima passou a ser um nome muito apreciado pelos crentes. 
Com o passar dos anos, e com o progressivo afastamento da população portuguesa da religião católica, Fátima começou a usar-se menos e sabemos que em 2013 foram registadas apenas 15 meninas com o nome Maria de Fátima e 17 em 2014. Neste mesmo período, também é possível perceber que "de Fátima" precede nomes tão variados como Matilde ou Luana. Já em 2016, Fátima foi usado como primeiro nome em 22 bebés. Muito mudou em vinte anos, se pensarmos que em 1997 nasceram 186! Pessoalmente, não acredito que o cenário se inverta nos próximos anos, já que Fátima parece um pouco datado, apelando apenas, provavelmente, aos mais devotos. 

Filhos dos famosos 2017 - Sandiego & Isabella

11.5.17



  • Charlie Wolf, filho da atriz norte-americana Zooey Deschanel [na foto]. O nome do menino segue o mesmo estilo da irmã, Elsie Otter, cujo nascimento também foi anunciado aqui.
  • River Joe, filho de Jeff Goldblum. Este nascimento ocorreu em Abril mas escapou-me! O ator já era pai de Charlie Ocean
  • Diego, filho de Fanny Rodrigues. Inicialmente, pensava-se que era Sandiego, nome sobre o qual conversamos há uns meses aqui
  • Maelle, filha da atriz brasileira Naiumi Goldoni
  • Pedro, filhos dos cantores brasileiros Maria Cecília e Rodolfo 
  • Isabella, filha do cabeleireiro brasileiro Rodrigo Cintra, que já era pai de Vinicius


E por falar em atualizações, lembram-se da Sienna, filha da cantora Ciara? É Sienna Princess. 

Duelos Improváveis
- Liam vs Noah -

10.5.17


Dentro de poucos dias serão revelados os nomes mais registados nos EUA ao longo do ano de 2016. O ranking norte-americano não parece ter influência directa nas escolhas portuguesas, ainda que seja possível perceber que há tendências que começam por lá e que, aos poucos, começam a ouvir-se por cá. Hoje vou aproveitar o momento para opor os dois nomes masculinos mais registados em 2015 nos Estados Unidos, já que ambos são aprovados em Portugal. Falo-vos de Liam & Noah

Liam está relacionado com William - outro nome estrangeiro que é um velho conhecido da sociedade portuguesa e que, mesmo não sendo elegível pelos cidadãos portugueses para os seus filhos, é uma presença constante no nosso top 100. Mas voltemos a Liam, que me parece muito mais moderno do que William, está em alta em vários países europeus e está fazer uma escalada considerável no nosso ranking, passando de quatro registos em 2011 para 29 em 2016, o que lhe permitiu ficar às portas do top 100, na 101.ª posição, para ser exacta. 

Quanto a Noah, já é um habitué do blog, não só pela presença na lista de nomes masculinos mais registados em Portugal desde 2011, mas também porque a sua delicadeza e invulgaridade costumam suscitar reacções muito apaixonadas [quase tão apaixonadas quanto o debate sobre a forma "correcta" de o pronunciar...]

Para finalizar, deixem-me só que diga que este duelo nem é assim tão improvável, porque feitas as contas, dos 100 nomes mais registados nos EUA em 2015, 64 também foram registados em Portugal em 2016, somando 4673 registos. Claro que, para isto, muito contribui o número de registos dos internacionais Gabriel, Lucas, David, Daniel, Isaac, Xavier e Samuel mas, mesmo assim, não é uma realidade assim tão distante!

Liam ou Noah, qual é o vosso preferido? Não se esqueçam de votar!

Resultado da sondagem



Filhos dos famosos - vem aí a Julieta?

9.5.17

Foto Caras

Ao que parece, a filha do ator Ricardo Pereira irá chamar-se Julieta! 😍 Fico feliz por ver uma celebridade tão querida dos portugueses a escolher um nome pouco habitual mas encantador, depois de, em 2015, a apresentadora Filipa Gomes também ter escolhido Julieta para a sua bebé. 
Julieta está no top 100 há dois anos consecutivos e em 2016 foi a escolha para 36 meninas portuguesas. 

Duelo de nomes
- Duarte vs Henrique -

5.5.17


Duarte e Henrique são dois nomes que devem no pensamento de muitos pais portugueses que se encontram no processo de escolher o nome perfeito para o seu bebé. E estão lá muito bem, digo eu, porque são dois nomes muito bonitos, elegantes e discretos. Os dois estão presentes na lista dos nomes de reis portugueses - lista essa que, exceptuando Sancho, é composta por nomes muito queridos e populares entre nós, como podem confirmar na tabela que se segue e que retrata a presença dos nomes dos reis de Portugal no top 10 dos nomes mais registados: 

Filhos dos famosos 2017 - Maria da Luz

Nuno Janeiro


  • Maria da Luz, filha de Ana Bacalhau, dos Deolinda
  • Dinis, filho de Nuno Janeiro
  • Bear, filho de Liam Payne e Cheryl Cole


O nome do momento

4.5.17


Olhando para os nascimentos à vossa volta, conseguem determinar o nome da moda neste momento? A Maria, que sugeriu este post, acha que Lourenço, Carminho e Maria do Carmo têm grande destaque! Eu continuo a ouvir falar bastante de Clara e Maria Clara para meninas e, no caso dos meninos, já conheci dois recém-nascidos chamados Frederico! 

Jacinto


Dentro de alguns dias, Portugal vai receber a visita do Papa e o momento será aproveitado para a canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto. Num país tão católico, e olhando para a enorme popularidade alcançada pelo nome Fátima [sobretudo, Maria de Fátima] até poderíamos esperar que Jacinta também conseguisse cativar os portugueses, mas a popularidade deste nome não foi afectada pela aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria. Uma das explicações poderá estar relacionada  com o uso de Jacinto que, até então, era a variante mais frequente. Ainda que nunca tenha sido um nome extremamente comum, é fácil de o localizar em Portugal desde o século XVIII e usou-se com moderação até aos anos 70 do século XX. É um nome que se encontra mais na geração dos nossos avós e dos nossos pais, mas não exclusivamente, e até temos o exemplo de Jacinto Lucas Pires, escritor português nascido em 1974. Nos dias que correm, tanto Jacinto como Jacinta são pouco utilizados mas, em 2016, Jacinta foi escolhido para 11 meninas, enquanto que, no mesmo período, Jacinto apenas foi registado em quatro meninos. Curiosa, esta inversão.
Eu gosto de Jacinto, tal como gosto de Jacinta. Como nome de flor, poderá suscitar algumas reservas, já que a atribuição de nomes masculinos tende a afastar-se do critério da delicadeza [ainda assim, temos aqui uma lista de nomes delicados para meninos] mas, para mim, Jacinto tem vida própria para lá dessa associação. Mais difícil será, talvez, ultrapassar aquela brincadeira que já terão ouvido e que poderá desagradar e muito a uma criança que seja importunada com ela.
O que acham de Jacinto? Conseguem dissociar Jacinta do fenómeno de Fátima? Qual dos dois vos parece mais usável? Na blogosfera portuguesa, há uma família que tem um pequeno Jacinto, irmão do Benjamim, da Luz e da Maria Jasmim. Que belo quarteto

Filhos dos famosos 2017 - Júlio & Sienna

2.5.17

Ciara

  • Zoe, filha da cantora Ana Free
  • Maria, filha de Filipe Gonçalves
  • Sienna Princess, filha de Ciara e Russell Wilson. Ciara já era mãe de Future Zahir
  • William John, filho de Jimmy Kimmel, que já era pai de Kevin, Katherine e Jane
  • Júlio, filho da atriz brasileira Bruna Hamú

Duelo de nomes
- Gabriel vs Miguel -

28.4.17


Gabriel é um nome masculino que se usa há vários séculos em Portugal mas, na duas últimas décadas, foi ganhado enorme destaque, de tal forma que, em 2015, alcançou o top 10 e, mais do que isso, integra o  pequeno lote de nomes que consegue ultrapassar a barreira dos mil registos anuais. E depois disto, o que dizer de Miguel, que integra esse mesmo lote há mais de 25 anos?! Atualmente, são os dois nomes masculinos terminados em -el mais escolhidos pelos pais portugueses e, portanto, impõe-se a questão: qual é o vosso preferido? Não se esqueçam de votar! 

Atualização - resultado da sondagem:



Ângela

27.4.17


O meu fascínio pelos nomes portugueses leva-me a uma procura incessante por nomes que ainda não fazem parte da minha base de dados. Infelizmente, já é raro encontrar nomes novos, sobretudo que possam ser minimamente apelativos para os dias de hoje. Por outro lado, apesar de estar muito familiarizada com os nomes mais usados pelos portugueses noutros séculos, nunca deixo de me impressionar quando encontro alguns em listas dos séculos XVI ou XVII, porque me parecem demasiado frescos para serem usados por senhores e senhoras de trajes medievais. 
Um exemplo flagrante é Ângela. Para mim, Ângela é e sempre será um nome muito jovial e, até, moderno. Pensar que era um dos nomes mais usados em 1650, parece quase impossível mas, a verdade, é que, nesse tempo, uma Ângela podia ser irmã de uma Jerónima e de uma Joana, de um Bento ou de um Francisco!
Olhando para uma época mais recente, Ângela ganhou fulgor a partir de 1960 e, em 1996, ainda estava no top 50 de nomes femininos mais registados em Portugal, com 284 registos. Desde então, usa-se cada vez menos e em 2016 foi escolhido apenas para 25 meninas. Esta perda de popularidade poderá fazer com que entre para o lote dos nomes datados mas, na minha opinião, Ângela continua a ser uma opção interessante, sobretudo para quem quer um nome bastante enraizado na sociedade portuguesa, mas internacional, e para os que procuram afastar-se dos nomes da moda, mas que também não querem optar por nomes demasiado invulgares. 
E já que falamos em Ângela, há outro nome que também se encontra muito em documentos antigos, mas que talvez seja mais difícil de agradar: Angélica. Pessoalmente, prefiro Ângela, que considero mais suave e delicado; além disso, na minha ordem de preferências, Angélica também perde para Angelina, que faz mais o meu estilo. 
O  que acham destes três nomes? Qual deles preferem? Sabiam que Ângela era tão popular na época medieval? Acham-no apelativo ou consideram-no demodé?